Dica de filme: A chegada

16:04


Sabe aqueles dias que você só quer ver um filme? qualquer filme? independentemente de ser bom ou ruim? então, fui ao cinema com minha irmã e todos os filmes em cartaz estavam em um horário que não era bom pra gente, o único que combinava com nosso horário disponível era "A chegada". Entramos na sessão sem saber absolutamente nada sobre o filme, e por incrível que pareça, todas as vezes que vou ao cinema sem saber muita coisa sobre o enredo ele acaba me "fisgando". A chegada foi uma boa surpresa pra mim.

O filme tem uma pegada de mistério e ficção científica. Tudo começa quando seres estranhos chegam a terra. Naves alienígenas pousam em doze cidades ao redor do mundo e as autoridades procuram uma maneira de se comunicar com os extraterrestres. Para isso, alguns especialistas são convocados para intermediar e entender essa comunicação, dentre eles, a professora Louise Banks, especialista em linguística, e o físico Ian Donnelly, buscam responder a seguinte pergunta: "o que vocês querem?" que outras onze equipes espalhadas pelo mundo também tentam.


Primeiramente, a chegada é dirigido por Denis Villeneuve. Como esperar pouca coisa de um filme comandado pelo cara que esteve a frente de "O homem duplicado", "Os suspeitos" e "Incêndios"? Pois é!!! Nada mais nada menos de que um filme tenso que prende do início ao fim quem está assistindo. A chegada foi indicado ao Oscar 2017 em oito categorias, dentre elas a de melhor filme. Mas só acabou levando pra casa o prêmio de melhor edição de som.

Um fato interessante de "A chegada" é a maneira como a linguagem é tão bem explorada. Na maioria dos filmes de ficção cientifica, a matemática e a física são a chave, o segredo, o ponto alto da história. Nesse filme, a linguagem tem grande relevância e podemos perceber a sua complexidade de uma maneira encantadora. A natureza da linguagem e das relações é evidenciada. O modo como Louise tenta ensinar a língua local para os aliens e como procura entender as "figuras" que eles emitem é instigante. Estamos tão imersos em nossas línguas nativas, que esquecemos do quão complexo é o ato de se comunicar.


Outra coisa que me chamou bastante a atenção foi como em um filme de invasão à terra os duelos, confrontos físicos, as lutas são deixadas em segundo plano. Não que isso seja um ponto ruim. Mas o ponto alto do filme não é a destruição ou a busca por território, mas sim, entender o que aqueles seres querem ao invadir o planeta. O trama se desenvolve na procura por essas respostas. Os efeitos especiais e cenários também não são muito utilizados. Ainda assim, os efeitos sonoros e a paleta de cores sombria, deixam o filme bem misterioso.

A viagem no tempo também é explorada no filme. Por mais que ele tenha uma sequência linear, sonhos e memórias são apresentados ao telespectador, que por vezes, pode se "perder" e achar que não está compreendendo direito o filme. Mas não se desesperem, no final tudo é esclarecido.  E eu, como uma boa fã de filmes que só revelam sua verdadeira intenção no final, adorei. "A chegada" tem um final digno de toda a história que foi desenvolvida.  A primeira vista pode parecer um filme confuso, mas atrás de toda a aparente confusão se encontra uma obra bastante poética.



Viram "A chegada"? O que acham desse tipo de filme?

Comente:

0 comentários