Resenha: Todo mundo vê formigas

20:58


Lucky Linderman é um garoto de 15 anos que desde os sete sofre bullying do valentão da escola, Nader Mcmilan. O pai de Luck é chef de cozinha e é uma tartaruga, que se esconde e foge dos seus problemas dentro de si mesmo. Sua mãe é uma lula, que nada na piscina todos os dias na esperança que nenhuma dificuldade apareça enquanto estiver lá dentro.

Além de Lucky ser alvo constante de bullying, desde sempre ele teve que conviver com o desaparecimento do seu avô que nunca voltou pra casa após a guerra do Vietnã, a perda da avó que tinha câncer e seus pais que ignoram o que acontece com o garoto, cada qual em seu mundo.

Mas o menino de 15 anos tem sonhos frequentes que o faz encarar a vida. Neles, Linderman vai resgatar seu avô na prisão do Vietnã, tornando-se um guerreiro, aventureiro, uma pessoa mais forte do que ele gostaria de ser na vida real. Nos seus sonhos a vida vale a pena ser vivida.

"A 1ª coisa que você precisa saber é que tudo o que eu fiz foi uma pergunta idiota.

A 2ª coisa que você precisa saber é que essa pergunta idiota me trouxe muitos problemas com Nader McMillan, o cara que faz bullying comigo desde que eu tinha 7 anos. E uma semana atrás ele pegou bem pesado comigo. Foi aí que eu comecei a ver formigas.

A 3ª coisa que você precisa saber é que meu avô Harry desapareceu durante a Guerra do Vietnã e nunca foi encontrado. Então, todas as noites, eu tento resgatá-lo da sua prisão na selva em meus sonhos. Mas nunca consigo.

 A 4ª coisa que você precisa saber é que minha mãe é uma lula e meu pai, uma tartaruga. Ela tenta afogar os seus problemas nadando o dia todo"


• Páginas: 240 
• Título original: Everybody Sees the Ants
• Autora: A. S. King
• Área temática: Ficção, Juvenil
• Editora Gutenberg 



Em “todo mundo vê formigas” conhecemos através dos relatos do jovem Lucky o que é sofrer bullying e ter que levar a vida como se nada estivesse acontecendo. Seus pais vivem imersos nos seus mundos e fazem de tudo para não ter que encarar os problemas de frente e o garoto vê nos seus sonhos (com o avô que nunca conheceu) uma maneira de fugir do mundo real.

Por ser narrado em primeira pessoa, a obra nos faz compreender um pouco do sentimento que o personagem principal sente, o que ele pensa, os medos, os desejos. É como se estivéssemos na pele do Lucky Linderman, passando pelo que ele passou ou vendo bem de perto tudo aquilo. As angústias, solidão e momentos de pequena felicidade que logo vão embora a se deparar com a realidade.


Todo mundo vê formigas traz uma profunda reflexão, de uma maneira bem simples e repleta de metáforas, de como existem no mundo inteiro pessoas que sofrem bullying, pressão social, que guardam para si e acabam sofrendo sozinhas. Todo mundo passa por problemas, mas a maneira que cada um enfrenta não é a mesma.

Um livro repleto de sentimentalismo e que nos faz pensar não só na nossa vida, mas na vida dos que estão a nossa volta. Ninguém tem uma vida perfeita como muitas vezes chegamos a imaginar, que na verdade, as pessoas que parecem muito diferentes de você, na verdade são muito parecidas.  As formigas estão na cabeça de todo mundo, todos temos problemas, todos vamos viver algo ruim uma hora ou outra. O que muda é a maneira como enfrentamos isso.

Gostam de histórias assim? Me contem nos comentários.

Comente:

0 comentários